Dec.17.09

Ainda sobre 500D

Posted in Cinema & TV at 3:19 pm by BP

BP: vá ver 500 Dias Com Ela

Wedge: yep. to precisando levar um soco no estomago

BP: d00d, não é exatamente um soco no estomago. Na verdade eu me senti COMPREENDIDO por alguém ter feito um filme daquela forma. É como se, de repente, alguém representando todos aqueles que já se frustraram levantasse numa só voz e dissesse: “You’re not alone. Keep trying”

Wedge: deep

Minutos atrás, no G-mail. LOL.

Nov.30.09

A moment, a love, a dream, a laugh, a kiss, a cry

Posted in Cinema & TV at 1:41 pm by BP

Vi sobre (500) Days of Summer numa vinheta na TV a cabo e gostei da premissa. Alguns dias depois recebo uma recomendação no melhor estilo “assista-o, você verá como a coisa realmente acontece”. Não sou chegado em filmes desse gênero, mas finalmente apareceu um com o qual eu me identifiquei profundamente. Isso ocorreu logo nas primeiras cenas e continuou até o fim, seja através da trilha sonora, seja nos pequenos detalhes de comportamento que Tom (nice guy) e Summer (girl of dreams)  demonstram.

Esqueça os contos de fada – o filme não é uma comédia romântica que termina com “foram felizes para sempre”. Também não é um drama de final miserável. Arrisco-me a dizer que é apenas a vida como ela é: os altos, os baixos e as surpresas que o amanhã nos reserva quando o assunto é relacionamento. Um tapa na cara? Provavelmente.

Clique aqui para ler o resto | Click here to read the rest

Sep.21.09

Little Big Plágio

Posted in Cinema & TV, Games at 11:42 am by BP

Não que seja um plágio descarado, mas tenho a impressão de que alguém da equipe do SBT responsável pelas vinhetas do Bom Dia e Companhia andou jogando Little Big Planet.

Não o culpo. Realmente, Sackboy e companhia são demais! Get It Together!

Jun.27.09

Revenge of The Fallen

Posted in Cinema & TV at 11:34 am by BP

Depois de Transformers 2 começo a concordar com o Wedge: Michael Bay parece estar perdendo a forma. O primeiro filme pode não ser perfeito, mas tirou o meu fôlego e me deixou sem piscar por duas horas. Revenge of The Fallen me deixou decepcionado e cansado da repetição. Enquanto isso Terminator ganhou uma sequência que valeu a pena, e que até me fez pensar se existe futuro para a saga Alien. Hmmm… acho que não.

Jun.16.09

Bundy x Fusion

Posted in Cinema & TV, Publicidade at 10:30 am by BP

Vi ontem pela primeira vez o novo comercial do Ford Fusion. O filme (intitulado “5 Anos”) tem bom gosto e tirou um LOL tanto meu quanto do meu pai. Vale a pena conferir.

Ao mesmo tempo lembrei um episódio de Married with Children onde o Al e o Steve  estão restaurando um Mustang, e da mesma forma que no comercial, tem planos diferentes pra quando o carro estiver pronto. Check it out!

Apr.05.09

K.I.T.T. modelo 08/09

Posted in Cinema & TV at 9:02 pm by BP

Meu Deus! O KITT virou um transformer! Não que um carro com IA avançada e mais truques que o Aston Martin do James Bond seja algo realista, mas hey, um Mustang virar uma caminhonete e até mesmo uma van é pedir pra você suspender a realidade e nunca mais ir buscá-la. Mais fácil crer em uma raça de robos alienigenas que se disfarçam em plena vista.

Como se não bastasse, o seriado também foi contagiado com aquela febre de colocar nos papéis principais jovens irresponsáveis, com piadinhas infames e flertes imbecis. O jeito é ficar com o original, que embora não seja perfeito, tem aquele agradável gostinho de nostalgia.

Acima: KITT (1982), David Hasselhoff e… Gary Coleman? Now we’re talkin’!

Oct.03.08

We are Robot Jox!

Posted in Cinema & TV, Games at 1:38 am by BP

Esses dias eu estava deitado quando lembrei de One Must Fall 2097, jogo de computador lançado em 1994 e que compramos via fax-modem no 386 que tínhamos. Foi nossa primeira compra “on-line” internacional, sendo feita através de um formulário preenchido e enviado no ambiente MS-DOS (eu jurava que não ia chegar, mas meu pai me garantiu que ia dar certo… e deu). É um dos melhores jogos de luta para PC de todos os tempos (basta ver as críticas), onde robôs gigantes se digladiam em diversas arenas - cada uma com suas armadilhas. Também foi um dos primeiros sucessos da Epic Megagames, hoje conhecida pela série Unreal e o super popular Gears of War.

Anyway, indo direto ao assunto: lembrando de OMF 2097 veio um flash à minha cabeça de um filme obscuro que eu havia visto na minha infância, e que desde então permaneceu adormecido em alguma região do meu cérebro. O tema: lutas entre robôs gigantes. Lembrei do formato de um dos robôs, meio aracnídeo, mas não consegui lembrar do nome do filme por mais que eu tentasse.

Clique aqui para ler o resto | Click here to read the rest

Sep.19.08

Bernard Bear

Posted in Cinema & TV at 8:21 pm by BP

Backkom (conhecido internacionalmente como Bernard Bear) é uma animação produzida na França por um estúdio Coreano (?) que mostra a vida atrapalhada de um urso polar diante das situações do cotidiano. Ele é egoísta e impaciente, porém sempre persistente. Bernard tem um look às vezes triste, que me lembra um pouco do Bisonho, mas basta ele ter uma idéia e esboçar o sorrisinho sacana que você já percebe que bobo ele pode ser, mas tonto não. É um personagem carismático, com o qual você acaba simpatizando fácil.

As animações tem de 3 à 5 minutos e também contam com alguns outros personagens. Até onde eu sei existem 52 episódios que fizeram grande sucesso pelo mundo (sendo veículado por volta de 2004). Dos que eu vi até agora meus favoritos foram A Day In the Country II, Parachute, The Little Dog e o final infame de The Flower.

Como descobri Bernard? Meu pai viu um video dele em uma palestra, chegou em casa e praticamente baixou todos os episódios do You Tube. LOL!

Aug.07.08

Pam pam paaam! Pam pam paaam!

Posted in Cinema & TV, Música at 4:44 pm by BP

No one would have believed, in the last years of the nineteenth century, that human affairs were being watched from the timeless worlds of space. No one could have dreamed we were being scrutinized, as someone with a microscope studies creatures that swarm and multiply in a drop of water. Few men even considered the possibility of life on other planets and yet, across the gulf of space, minds immeasurably superior to ours regarded this Earth with envious eyes, and slowly and surely, they drew their plans against us.

Nesta última semana eu fiquei fixado por Guerra dos Mundos. Ouvindo “Eve of the War”, abertura do musical comandado por Jeff Wayne, me senti compelido a baixar e ouvir o resto (eu sempre gostei de Eve, mas nunca me interessei em ouvir o álbum completo).

Mal sabia o que eu estava perdendo. Jeff Wayne’s War of the Worlds (1978) é uma experiência fantástica que deve agradar a qualquer um que goste de rock progressivo e albuns conceituais. Atrevo-me a dizer que talvez seja a melhor forma de “ler o livro”. Os filmes de 1953 e de 2005 são excelentes, mas o musical é o que mais se aproxima do original e o que mais me deixou imerso na experiência.

Eu quis ir um pouco mais longe e baixei o show realizado em 2006. QUE ESPETÁCULO! As atuações ao vivo, as imagens no telão, o show de luzes e cores. Você fica oprimido pelo som do desconhecido e abominável, vibra junto à multidão quando o Thunderchild traz a esperança da vitória, literalmente entra de cabeça na história. Fenomenal! Mais um show na minha lista dos que eu queria assistir pessoalmente, mas que provavelmente nunca vou.

Pam pam paaam! Pam pam paaam!

Fiquei tão tomado pela experiência que acabei dedicando várias horas à pesquisa de informações sobre o livro. É espantoso pensar que ele foi escrito em 1898, numa época onde não existiam tanques ou aviões, tão pouco a idéia de guerra biológica era tão comumente difundida como é hoje. Às vezes fico impressionado (positivamente) com o ser humano. A capacidade de H. G. Wells em escrever algo tão a frente do seu tempo, e a habilidade de Jeff Wayne em trazê-lo a vida através da música. WOW! Eles fizeram história!

Aug.04.08

They will fix you… they fix everything

Posted in Cinema & TV at 11:40 pm by BP

Robocop, um dos meus filmes favoritos, está ganhando uma nova versão em 2010. Não se trata de uma continuação, mas sim de uma re-leitura um pouco mais atual. Uma espécie de remake.

Robocop 2010 Promo Poster

A primeira questão que me veio à cabeça foi: Robocop precisa de remake? O filme original, de baixo orçamento (B), foi lançado em 1987 e colocou o nome de Paul Verhoeven (e de vários atores) no mapa de Hollywood.

Quando criança eu achava o filme legal, porém com o passar do tempo percebi que ele ia muito além da ação rotineira e do cara vestido com a armadura. É uma obra de arte do cinema de ficção científica, carregado de ironias e críticas a sociedade do consumo e, claro, recheado de belas cenas de ação e violência (exagerada, mas nunca gratuita). Sem contar a impecável trilha composta pelo lendário e legendário mestre Basil Poledouris (Conan).

Apesar do filme ter 21 anos, seus temas continuam atuais e seus efeitos continuam quebrando o galho até hoje (eu, e mais uma legião, nunca trocaria o stopmotion do ED-209 por uma versão em CGI).

Eu não sou o tipo de fanboy que vai amaldiçoar a MGM caso Robocop 2010 seja uma bomba (bom… talvez). É praticamente impossível o novo filme ser tão bom quanto o original, simplesmente porque não há nada o que melhorar. Também é quase impossível que o filme seja pior do que Robocop 3, a série da TV e a minissérie Prime Directives (lançada em 2000). Pelo menos é o que eu espero. Se bem que vendo o que aconteceu com Alien vs Predator: Requiem, eu não duvido mais da capacidade dos diretores em piorar as coisas.

« Previous PageNext Page »