O retorno à Legoland!

Como quase todo garoto que cresceu na década de 80, Lego foi um dos meus brinquedos favoritos e mais desejados. Jamais esquecerei a emoção ao ganhar o helicóptero dos bombeiros, cujas peças atualmente devem estar espalhadas por duas ou três casas onde morei. Após o desencanto natural de um adolescente pelos seus “brinquedos de criança”, é normal que os tenha deixado para trás em uma caixa surrada da Mesbla (lembram dela?).

A questão é que hoje, aos 34 anos, essa chama reacendeu graças a um kit que comprei como um suvenir de viagem. Minhas atenções voltaram para a marca e bateu aquela vontade de construir uma mini-cidade modular – algo bem mini, que caiba no bolso e seja passível de ser desmontada e guardada. Me deparei com um universo bem mais vasto do que há 20 anos, e nas últimas semanas estive pesquisando um bocado a respeito. Abaixo deixo algumas impressões que podem ajudar os que pretendem voltar ao “hobby”, mesmo que temporariamente somente para satisfazer um capricho da infância.

Read moreO retorno à Legoland!

The future of law enforcement!

Já falei aqui sobre como conseguir o Daileon foi a realização de um desejo da minha infância. Também já falei sobre como sempre quis ter uma réplica de um F-14 Tomcat e, depois de adulto, consegui realizar. Pois bem, realizei mais um: ter o meu próprio Enforcement Droid Series 209.

Até o começo dos anos 2000 a única alternativa para quem queria uma réplica decente do Robocop era montar um kit Horizon (lançado em 1989) e torcer para ser bom na pintura metálica. Foi em 2004 que a McFarlane Toys lançou uma action figure fantástica e, pela primeira vez, todos os fãs teriam um Robocop com “verossimilhança” ao filme pronto para exibir e “brincar”. A partir daquele momento iniciou-se uma espera angustiante por uma figura do ED-209 que pudesse fazer companhia ao Robo. Algum tempo se passou e o ED finalmente foi lançado em 2006, porém em escala menor, pela Kotobukiya no Japão. Veio a Hot Toys e no mesmo ano lançou o Robocop e finamente o ED em escala 1/6 – muito maior e mais caro, o ED-209 possuía algumas articulações, mas pecava em alguns detalhes. Passam-se mais alguns anos e a NECA entra no jogo, lançando diversas versões do Robocop  mas sem nunca sugerir um futuro Eddie. Chega 2012 e a Hot Toys, agora muito mais detalhista, anuncia novas versões do Robocop e ED-209 com detalhes incríveis e articulação digna do boneco stop-motion usado no filme. O preço? U$ 299 pelo Robo e U$ 399 pelo Eddie. Apesar do custo proibitivo eu pensei em me programar para comprá-las, mas o bom senso (e o casamento) falou muito mais alto, então simplesmente aceitei que talvez jamais fosse ter um ED-209 para fazer companhia ao Robocop do McFarlane. Foi então que a NECA me surpreendeu. Leia mais clicando abaixo.

Read moreThe future of law enforcement!

LEDs

Você já ouviu isso antes: o papo de que as lâmpadas frias gastam menos que as convencionais incandescentes. Hoje a moda é o LED, que gasta ainda menos, dura mais, e aparentemente também brilha mais. O planeta Terra que me perdoe: eu economizo água, apago as luzes, mas nunca decidi por esse ou por aquele produto baseando-me puramente no gasto de energia elétrica. E cá estou eu me prolongando e desviando do assunto central. A questão é que nessa última semana tive uma experiência absolutamente esclarecedora e gratificante sobre LEDs. Ela envolve os model kits da Bandai descritos nos posts anteriores, então sim, mais uma vez Star Trek e “brinquedos de gente grande” se tornam assuntos nesse blog.

Read moreLEDs

Chegou ontem…

…no final da tarde, e obviamente parei quase tudo o que estava fazendo para montá-la:

Desde que eu a descobri, a Enterprise NCC-1701 da Bandai virou desejo de consumo, especialmente por dois motivos: o primeiro deles é que as peças já vem pintadas. Não estou falando aqui sobre peças plásticas na cor base do modelo, mas sobre pintura e decalques já aplicados de fábrica, com um detalhe meticuloso que eu jamais seria capaz de reproduzir (e tão pouco teria a paciência). Esta tudo lá, inclusive o detalhado padrão Aztec. Em segundo lugar: luzes! As janelinhas iluminadas sempre foram “fascinantes” de ver na TV, o que dizer então de uma pequena (35cm de comprimento) réplica toda iluminada? O único problema é que a iluminação não é LED, mas sim lampadas comuns. Só Deus sabe quanto tempo elas resistirão e, se uma falhar, o trabalho para desmontar e montar novamente pode não valer a pena. Ressalto que o kit dispensa cola, e as peças ficam bem encaixadas, mas houve bastante luta em alguns momentos. Tempo para montar: 5 horas. Confira alguns reviews aqui, aqui e aqui.

Acho que não preciso dizer que em breve devo realizar um ensaio fotográfico da NCC-1701, certo?

Updated: dito e feito!