Dell Inspiron 7000 – Parte Final: dois anos depois!

Mesmo após dois anos da compra decidi fazer a parte III (e provável final) em relação ao Inspiron 7572. O notebook continua mostrando o mesmo desempenho de quando era novo, sem apresentar nenhum tipo de bug ou problema – suas limitações continuam as mesmas ressaltadas nas postagens anteriores. Por que então desse novo update?

A grande novidade veio pelos resultados obtidos com a troca da pasta térmica. Coloco abaixo a minha experiência, também relatada neste tópico do Adrenaline. Aperte o cinto e vamos lá.

A troca da pasta térmica não ocorreu por uma necessidade inerente, mas por assistir diversos vídeos que demonstravam os ganhos e também ressaltavam a qualidade baixa da pasta colocada pelas fabricantes, e também por conta do incentivo de um amigo que me proveu assistência. Os resultados me surpreenderam. A pasta que usei foi a Cooler MasterGel Maker, e fiz uma aplicação bem mais ou menos (primeira vez que fiz). Resumindo pra quem não quer os detalhes: redução de aproximadamente 7° ou 8°C nos picos.

Só pra recapitular, rodo o meu i7-8550u com undervolt de 0.90 0.85 e tenho dois perfis no ThrottleStop, um de produtividade que fica com o turbo máximo de 3.5Ghz e outro em 2.5Ghz para jogos. O perfil de 3.5Ghz eu uso na maioria do tempo. No Photoshop, com ferramentas como o pincel de seleção inteligente do Câmera Raw a temperatura poderia dar picos de até de 98°C dependendo da quantidade de modificações na imagem (sem undervolt ou restrição do turbo, era comum o i7 chegar aos 100°C). Depois de trocada a pasta, o pico máximo que vi foi na casa dos 90°, mas a média ficou por volta de 77°, 78°, 80° graus. Redução de aproximadamente 7° ou 8°C. No perfil travado em 2.5Ghz (que uso pra jogos), ao rodar o TSBench do ThrottleStop a temperatura máxima caiu de 78° pra 76° – uma queda menor, porém deve-se considerar que durante o benchmark as ventoinhas não chegaram à rotação máxima, provavelmente pelo sistema não julgar ser essa uma temperatura alta.

Desempenho em jogos: com o turbo máximo em 2.5ghz, rodei Crysis e Alien Isolation em resolução 768p e 2xAA, detalhes gráficos altos (mas não máximos), a placa de vídeo chega relativamente rápido aos 67°, caindo as vezes em alguns momentos, mas plenamente jogável, sempre com frames acima de 40 (Crysis) e 50, 60 (Alien), e a CPU fica na casa dos 75ºC. Mesmo com horas jogando, não caiu o desempenho ou ficou travando. Plenamente aceitável pra um note cujo foco é produtividade.

Mais do que desempenho, espero ter ganhado longevidade no equipamento. Como sempre digo, não pretendo trocar esse notebook tão cedo. Eu o tenho há quase 2 anos e não tive nenhuma dor de cabeça até agora. Bateria continua OK também, embora use ele conectado na maior parte do tempo.

Só pra finalizar, rodei o teste do site CPU UserBenchmark (com ThrottleStop desligado, sem undervolt e underclock) e o resultado foi bastante satisfatório, e o máximo de pico na temperatura foi 95°C.

Leave a Comment