Dream Theater, the majesty

Hoje estava assistindo uma parte dos DVDs Live at Budokan e Chaos In Motion, do Dream Theater. Sempre que vejo a atuação deles fico impressionado, e de certa forma até orgulhoso por gostar da banda. Todos são mestres em seus instrumentos, suas longas performances ao vivo soam melhores do que as gravações no estúdio (desconfio que não exista algo difícil o suficiente que eles não possam tocar). Algumas músicas são demasiadamente pesadas pro meu gosto, mas me regozijo na sensibilidade de tantas outras melodias expressadas com supremacia técnica, capaz de ganhar a simpatia até mesmo de um público que definitivamente não é alvo (meus pais). Fico pensando em como esses mestres treinaram seus dons e se tornaram o que hoje são. Existem tantas pessoas por aí que dominam algo, são admiradas (com razão), que até me faz pensar no quão desprovido de talento sou. Anyway, espero que algumas músicas clássicas da banda apareçam no Rock Band, e não apenas as do último album. Talvez assim possa sentir um pouquinho do gosto que Petrucci tem ao subir no palco e fazer um solo :)

Fim de tópico. Deixe-me voltar ao filme/desenho da abelha que se apaixona pela florista.

Leave a Comment