Eleições 2010

Pela primeira vez fui convocado para trabalhar nas eleições. A experiência não é das piores, mas certamente é cansativa – especialmente quando se tem 1.93 de altura e você é obrigado a ficar sentado em carteiras escolares do século passado. Eu participei um pouco de todas as funções: recepcionar eleitores, mesário e “digitador de título”. Os colegas da mesa, todos bem humorados, deixaram boas lembranças.

Certamente não pretendo repetir a experiência, porém se for convocado, que não seja como presidente da mesa (esse sim tem um pouco mais de dor de cabeça), e espero profundamente que algumas coisas tenham mudado até lá, entre elas:  1) Voto opcional: vota quem quer, quem não está interessado que fique em casa. Inúmeros eleitores decidiram seu voto na hora, não tendo conhecimento algum do seu candidato, e causando ainda mais atrasos no primeiro turno. 2) Se o caderno de presença continuar, então por favor, facilitem a nossa vida e criem nele um sistema com abas no começo de cada letra, igual aos vistos em agendas telefônicas (A, B, C, D, E…). A procura pelos nomes ficaria bem mais rápida. 3) Melhor lanche. Bolacha água e sal e 2 garrafinhas de água pro dia todo é “pura falta de sacanagem”.

2 thoughts on “Eleições 2010

  1. Curioso que na minha seção não teve nenhum embriagado, tão pouco engessado. No máximo algumas pessoas com bengalas. Algo que ouvi lá uma eleitora e que me fez pensar sobre seu convite (há 4 anos atrás) de ir pra Bolívia: ela olhou pra nós e disse “Eu ja vivi em Cuba, sei bem como é e não quero que o Brasil se torne igual”. Hahahaha.

    Ah, mais uma coisa: proibir os eleitores de levar as crianças pra votar. Nesse segundo turno houve mãe que levou os dois filhos, cada um pra apertar um dígito.

Leave a Comment