01.18.11

Construindo meu Beauty Dish / Flash Ring (DIY)

Posted in Fotografia at 1:09 pm by BP

Passei os últimos 4 dias desenvolvendo (no melhor estilo “do-it-yourself”) alguns acessórios pra me auxiliar na fotografia com flash, entre eles – mas não só – um Soft Box de 45x51x33cm e um Beauty Dish / Flash Ring, o qual escolhi como tema para esse post.

O material base para a construção foi papelão. No caso do Beauty Dish eu não possuía nenhuma caixa arredondada, então recortei um círculo para servir de fundo e depois fui construindo os lados com tiras separadas. O trabalhoso processo resultou em um hexadecágono (16 lados).

“Pra que tanto trabalho, quando você poderia ter usado uma tigela plástica como tantos fazem?” Simples: eu pretendia algo grande porém leve. Observe que na verdade optei por construir um Flash Ring do tamanho de um Beauty Dish, e não o contrário. Beauty Dish é grande e geralmente fica sem seu próprio stand / tripé, enquanto que o Flash Ring é bem menor e, por pesar menos, é montado no próprio flash+câmera. Eu quis ter o melhor dos dois mundos.

Quando eu estava prestes a iniciar o acabamento do mark I, meu pai questionou: “Porque você não visita aquela loja de embalagens plásticas que fica no próximo quarteirão? Certeza que eles devem ter algo nesse formato”. Iluminado pela ideia óbvia (mas que ainda assim não tinha considerado), fui até a loja e consegui algo pouca coisa menor, mas que garantiria um visual muito menos “pedreiro”.

A embalagem de bolo que tem como base um dodecágono (12 lados) serviu muito bem para o meu projeto. Usei papel laminado para revestir as paredes interiores da tampa transparente e, para dar firmeza, recortei e grampeei um daqueles fundos para bolo que é feito de papelão grosso e tem um dos lados laminado. O acabamento externo foi feito da seguinte forma: cartolina preta recortada no formato triangular de cada lateral foi colada, depois apliquei fita isolante para reforçar a estrutura e também tapar os espaços. O Beauty Dish / Ring Flash mk II ficou bem mais agradável esteticamente falando, porém alguns testes revelaram um problema: o fundo da embalagem, agora utilizado como “tampa / difusor”, possui coloração amarelada que eu não tinha percebido a olho nú. Em comparação com o mk I, os resultados foram os seguintes:

A coloração muito quente e a necessidade de mais potência no flash não me agradou. Comprei uma nova embalagem e fiz modificações no fundo. Recortei algumas áreas dele e revesti com sulfite comum, uma vez que o papel seda provavelmente não resistiria à tensão necessária no momento de encaixar o fundo (“tampa”) no resto do corpo.

A luz resultante ficou bem mais próxima do mk I e, embora permaneça uma leve coloração quente, ela não é nada comparada ao resultado do mk II com a “tampa” original. Se houver alguma modificação no futuro, provavelmente será pra trocar o sulfite com algum outro material.

Pode não ser tão profissional quanto um Beauty / Ring produzido, mas custando até vinte vezes menos, o resultado final ficou prático, com uma estética agradável e bem convincente. Só falta colocar em uso…

Leave a Comment