06.25.11

Samsung Galaxy 551 vs Black Piano + Problemas

Posted in Tecnologia at 3:04 pm by BP

Update 2: Eis que menos de 6 meses depois precisei enviar o meu Galaxy 551 para a assistência técnica. Mais informações no corpo da matéria.

Minha relação com celulares sempre foi uma das mais simples possíveis: fazer ligações, receber SMS e permitir toques musicais era o suficiente. Por isso mesmo fiquei tanto tempo com o Samsung E256, comprado há uns 5 anos atrás. Pequeno, leve, com uma bateria que ainda dura dias.

A questão é que de repente comecei a me sentir fora da onda tecnológica. Cada vez que ia em algum lugar e via alguém usufruindo das possibilidades do seu smartphone, olhava pro meu E256 e percebia o quão limitado ele era. Foi quando resolvi pesquisar um substituto.

Escolhi o Galaxy 551 pelas seguintes razões: teclado físico pra mim é essencial. Eu não sou fã de aparelhos que oferecem apenas touchscreen, e sempre gostei de aparelhos tipo flip / slider. Outra característica importantíssima é que ele vem com o Android, o único sistema operacional capaz de fazer frente ao OS da Apple no que diz respeito a variedade de aplicativos disponíveis. Eu pesquisei anteriormente por modelos da Samsung, mas não existia nenhum smart com teclado retrátil que carregasse o Android. Foi quando de repente surgiu o Galaxy 551, numa categoria mid-range, com preço relativamente acessível e desempenho mais do que o suficiente pra mim (que não uso celular pra jogar).

Após pouco mais de um mês de uso, afirmo que o Galaxy 551 atendeu minhas expectativas. Tenho contato constante com um iPod de quarta geração, e digo que embora a combinação Galaxy 551 + Android 2.2  não ofereça uma navegação tão suave  quanto o iPod, nem uma qualidade de imagem semelhante (a tela do 551 possui metade da resolução da tela do iPod), em nenhum momento me sinto desatualizado em relação ao produto da Apple. A resposta do touch do 551 é impecável, e quando uso o iPod sinto falta dos botões físicos de função que agilizam muito a navegação.

Deixando de lado as comparações com o produto da Apple e os inúmeros aspectos positivos do Galaxy 551, ele também tem algumas coisas que acabam incomodando. De pequenas funções que poderiam ser resolvidas com updates (travamento automático da tela sempre que ela apaga; impossibilidade de deletar os aplicativos que vem instalados etc), até outras que dizem respeito as características físicas do mesmo, como a pequena memória interna (170mb), a bateria que acaba muito rápido (mas isso é, em parte, consequência de um celular que é basicamente um microcomputador de bolso – e varia de acordo com o seu uso), e o black piano aplicado na parte traseira do aparelho. Darei destaque a este último, pois não consigo entender como um designer tem coragem de aplicar esse acabamento num objeto que estará em contato direto com as mãos e é suscetível a riscos tão facilmente.

Mas eu dei um jeito nisso! Opa! Como o Invisible Shield que eu comprei para proteger a tela e também o fundo/tampa traseira estava demorando pra chegar, eu tomei a iniciativa. Lembrei de um verniz fosco que apliquei para proteger os model kits que construí, e que também é usado para retirar o brilho de todo tipo de superfície. Apliquei ele na tampa traseira do celular, deixei secar por 2 dias (recomendo 3) dentro de uma caixa plástica (onde não pegaria/grudaria poeira) e o resultado foi profissional, deixando o aparelho mais bonito e seguro para usar, uma vez que acabaram as marcas de dedo, os microriscos, e também oferece um grip melhor. Se eventualmente você fizer um risco profundo, como já me ocorreu, basta aplicar mais uma camada do verniz que ele disfarça muito bem, restaurando o visual zero quilometro. O quanto esse verniz vai aguentar, eu não sei.

Eu tomo muito cuidado com minhas coisas, mas celulares eventualmente vão enfrentar situações onde serão riscados e estão sempre em contato com o dedo, deixando marcas que me incomodam profundamente (já me disseram que devo ter TOC, e concordo). No que diz respeito a tela touch, a boa notícia é que o material utilizado no Galaxy 551 foi bastante resistente a microriscos, mas eu fui além e encomendei um Invisible Shield – na minha opinião, o melhor protetor para qualquer gadget. O touch não perdeu nenhuma sensibilidade, e ninguém percebe que existe uma película protetora no celular. Ficou marca de dedo? Pode passar a camiseta, seja ela do tecido que for, que o Invisible Shield não risca. Agora sim, posso usufruir do touch e limpar a tela logo em seguida, evitando marcas horríveis. Posso pegá-lo e deixá-lo em qualquer superfície, sabendo que o seu fundo fosco não será riscado e marcado tão facilmente quanto o black piano e, se eventualmente for, posso restaurá-lo em  48 horas.

Agora sim, meu Galaxy 551 me satisfaz plenamente, não só  levando no bolso os meus contatos, minhas músicas favoritas (comprei um cartão de 32GB), e demais arquivos, mas estando protegido de marcas de dedos e riscos desagradáveis :)

Update 1: infelizmente o verniz fosco da Acrilex não resiste  muito tempo ao constante manuseio. Com algumas semanas de uso, as áreas que ficam em contato constante com os dedos vão lentamente recuando e ficando “meladas”. Ainda estou à procura de uma nova possibilidade para ter o meu celular com fundo fosco.

Update 2 (problemas): menos de 6 meses após a compra, o meu Galaxy 551 começou a apresentar problemas sérios. O primeiro diz respeito a qualidade das ligações, que caem a cada 60 segundos ou menos. Eu literalmente não era capaz de manter um diálogo sem que tivesse que ficar religando duas ou  três vezes para a pessoa.

O segundo  problema diz respeito ao cartão de memória. Todos os dias, aleatoriamente, o Android acusava que “o cartão de memória foi removido inesperadamente”. O problema se repetiu tanto com o MiniSD original (Sandisk 2 GB) quanto com o comprado (Transcend 32 GB).

O resultado é que o meu aparelho está na (péssima) assistência técnica da Samsung há quase 20 dias, e os reparos não foram iniciados porque a Samsung da Coréia ainda não destravou o IMEI do meu aparelho. Way to go, Samsung… lá se foi minha confiança na marca, construída cautelosamente em todos esses anos.

1 Comment »

  1. ZNP said,

    July 22, 2011 at 9:26 am

    Fanta Uva, há quanto tempo! Aparece no msn pra gente falar de fotografia! Entrei no seu blog esperando ver muitas fotos novas, mas cadê sua galeria? Posta as novidades!

Leave a Comment