Mini 9 e a morte do SSD

Em dezembro de 2008 adquiri um Dell Mini 9, sobre o qual já escrevi aqui. No último dezembro (2011), exatamente 3 anos após a compra (e incontáveis horas de uso) chegou o meu dia de presenciar a morte do SSD original: 8 GB desapareceram e a Bios acusou 0 MB de espaço disponível. Gastar ou não gastar com um netbook de 3 anos de idade? Eis a questão!

Resolvi que não iria jogar o Mini 9 na lixeira, e resolvi procurar um novo SSD (uma observação: aparentemente os SSDs não duram tanto quanto um HD comum, sendo esse tipo de morte algo relativamente comum entre os usuários do Mini 9). O drama não seria grande, exceto pelo fato de que o hoje em dia, encontrar um drive SSD compatível é tarefa um tanto quanto difícil (atente para a especificação de que deve ser PATA, PCIe, tem que ter 50mm de comprimento etc).  No Mercado Livre encontrei apenas um modelo sem marca, com 70mm de comprimento (que teria de ser adaptado através de pedreiragem), por R$ 350 (32GB). No Ebay, encontrei o modelo da RunCore que inclui um adaptador USB (para ligar o drive a um computador comum) por U$ 125 (mais $35 de frete expresso). Com a taxa/imposto da Receita Federal, paguei em torno de R$ 450 para reviver o meu Mini 9. Mas valeu a pena, sendo que hoje em dia com R$ 1000 é possível comprar um netbook ou computador melhor?

A verdade é que só o tempo dirá. Embora eu esteja doido por um tablet, o Mini 9 ainda me satisfaz para o que eu preciso: é relativamente compacto, tem todas as funções de um desktop e agora, graças ao SSD de 32 GB, pude instalar o Windows 7 Ultimate que definitivamente é bem mais rápido e leve do que o Windows XP instalado de fábrica (é impressionante, eu sei). Devo ressaltar também que já tinha investido no Mini 9 alguns anos atrás, ao dobrar a memória RAM para 2 GB (algo essencial para quem pretende rodar o Win7). Hoje ele pode não ser mais uma novidade, mas continua fazendo parte do meu dia-a-dia.

Leave a Comment