Samsung Galaxy 551: o veredito após 2 anos

Retorno ao blog, meus caros e raros visitantes, apenas para deixar registrado o fim da história com o meu Galaxy 551. Ausente pelos diversos compromissos da Vida Real, acho bacana falar um pouquinho sobre essa experiência.

Como relatado da última vez, meu Galaxy 551 apresentou problemas após 6 meses de uso. Ligações que caíam logo nos primeiros segundos e cartão SD que era removido automaticamente sem eu nem tocar o celular. Após quase dois meses de entrada na assistência técnica da Samsung em Piracicaba, recebi meu novo aparelho, lacrado, e para meu deleite ele durou quase 1 ano sem nenhum problema. Acontece que muito recentemente ele começou a reiniciar aleatoriamente, sem nenhum tipo de intervenção humana.

Para piorar, durante o período de paz em que convivi com o meu aparelho, acabei comprando um novo Galaxy 551 para minha namorada (eu fui ingênuo o suficiente para achar que eu tinha sido apenas uma vítima isolada). Não preciso nem dizer que hoje, após quase 1 ano dela usando o seu charmoso 551 (versão branca), ela está enfrentando vários problemas: reinicia várias vezes no dia, entra no modo de segurança sozinho, o cristal líquido do LCD já apresentou manchas que apareceram e sumiram misteriosamente) etc.

Com um pouco de pesquisa, descobri que o Galaxy 551 (que no exterior é também é conhecido como Galaxy I5510) é realmente problemático. Na Finlândia, a taxa de retorno por causa de defeitos chegou a 33%. Isso significa que para cada 3 aparelhos vendidos, 1 retornou à loja apresentando problemas.

O triste de tudo isso é que a Samsung deixou de fabricar aparelhos sliders com teclado QWERTY. Na verdade não foi apenas ela, mas aparentemente não há nenhum aparelho com Android que possua touch e teclado QWERTY ao mesmo tempo. Infelizmente parece que nós, fãs do teclado e da sensação tátil de digitar, estamos destinados a migrar definitivamente para uma tela touch.

Leave a Comment